INTOXICAÇÃO CAUSADA POR BEBIDAS ALCOÓLICAS ADULTERADAS

Atualmente, grande parte da população brasileira, cerca de 55%, consome bebidas alcoólicas, segundo o Instituto Brasileiro do Fígado (Ibrafig). Dentre as bebidas consumidas, há um nicho que apresenta crescimento significativo nos últimos anos no Brasil, considerando-se que nos últimos dez anos saltou de 70 para quase 900 o número de cervejarias artesanais no país.

As cervejas e bebidas artesanais, embora sejam atraentes para os clientes e para o mercado de bebidas alcoólicas, apresentam um risco para o consumidor, que é o de contaminação por bebidas alcoólicas adulteradas.

O processo de produção e armazenamento de bebidas alcoólicas implica em alguns cuidados específicos para evitar contaminação e/ou adulteração do produto. Segundo um estudo realizado em municípios de São Paulo e Minas Gerais pelo Cebrid (Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas), da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), em 65 amostras de bebidas utilizadas como objeto de estudo, como cachaças de alambique, uísques e licores artesanais, cerca de 50% apresentaram substâncias tóxicas como cobre, metanol e carbamato de etila.

O consumo de bebidas alcoólicas adulteradas pode ocorrer nas mais diversas situações, tais como, eventos de rua, festas ou bares com venda de bebidas procedência duvidosa por ambulantes. Usualmente, a adulteração dessas bebidas se dá por meio do uso de metanol, posto que é um álcool mais barato que o etanol (álcool legalmente utilizado para a produção das bebidas alcoólicas) e sua presença não é facilmente notada por propriedades organolépticas -cheiro, gosto, cor…-. Ademais, outras substâncias como cobre, carbamato de etila e diversas outras também são comumente utilizadas na prática de adulteração.

A intoxicação por metanol apresenta alguns sintomas característicos, destacando-se alguns como:

  • Dor de cabeça;
  • Astenia (diminuição da força muscular/cansaço/fadiga extrema);
  • Sonolência;
  • Dilatação das pupilas;
  • Diminuição da acuidade visual e cegueira, devido à degeneração das terminações da retina e do nervo óptico.

Com o objetivo de evitar o consumo e possível intoxicação, recomenda-se que sejam seguidas algumas dicas, tais como:

  • Não confiar em preços muito abaixo do mercado e caso seja necessário fazer uso da internet em sites especializados para verificar o preço médio do produto;
  • Solicitar as informações do importador e distribuidor da bebida alcoólica. É possível solicitar acesso à nota fiscal da compra nas fábricas pelas distribuidoras e certificados que atestam a qualidade do produto comercializado por algumas lojas físicas e virtuais;
  • Conferir o selo do IPI, que é o imposto sobre produto industrializado que atesta a fiscalização do produto pelas autoridades brasileiras;
  • Aferir a presença de lacre no produto, que garante que não houve troca, mistura ou substituição do conteúdo da embalagem de bebida alcoólica.

Para quem comercializa ou produz bebidas alcoólicas e deseja atestar a autenticidade do produto, é possível realizar a análise química desse líquido. Durante esse processo é possível identificar a presença de contaminantes na bebida, tais como aqueles já ditos acima.

Por fim, pode-se afirmar que é de extrema importância para o comerciante e o  consumidor se atentar aos cuidados na produção de bebidas alcoólicas.

Para reduzir o risco de uma possível contaminação da bebida alcoólica durante sua produção, é recomendável procurar o serviço de consultoria química, que visa analisar as etapas dos processos de formulação, proporcionando o conhecimento da composição e estruturação do produto como um todo, por meio de uma análise química conduzida de maneira técnica, contribuindo para a estruturação de um processo que apresentará os resultados mais eficientes e seguros.

Outros textos presentes no blog da Dativa como “Como a Consultoria Química pode ajudar a melhorar a formulação do meu produto? e “O papel da consultoria no crescimento do mercado de bebidas alcoólicas” podem oferecer conhecimentos mais técnicos e específicos que exemplificam a importância da consultoria química para a produção adequada de bebidas alcoólicas.

Confira outros textos sobre temas como esse em nosso blog!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: