Como o prazo de validade dos alimentos é determinado? A química responde!

Entende-se por ‘prazo de validade’, o tempo de duração de um produto perecível até que ele seja considerado inadequado para o consumo. Assim, isso se refere diretamente à permanência das suas características físicas, químicas, sensoriais e microbiológicas, de forma que nesse período de tempo, o alimento não sofra alterações que invalidarão parcialmente ou totalmente as informações descritas no rótulo.

Este prazo de validade, também conhecido como período de prateleira, é contado a partir do momento em que se inicia a fabricação do produto, até o momento que começam a haver degradações em suas propriedades que comprometem o consumo. Além disso, essa é uma informação que deve estar presente no rótulo das embalagens, como previsto na Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 259, de 2002, que trata do regulamento técnico sobre rotulagem de alimentos embalados. 

Sendo assim, os produtores de alimentos devem garantir que o prazo de validade esteja conforme as normas estabelecidas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Existem, portanto, alguns fatores que alteram as características do alimento, indicando a aceleração no processo de validação durante o armazenamento. São eles:

Fatores Intrínsecos

São fatores inerentes aos alimentos, isto é, próprios deles. Por exemplo:

  • Umidade;
  • pH;
  • Nutrientes;
  • Conservantes.

Fatores Extrínsecos

São características que o alimento adquire ao longo do tempo devido aos fatores externos, tais como:

  • Condições de armazenamento;
  • Manuseio do consumidor;
  • Tipo de embalagem;
  • Processamento.

Como determinar o prazo de validade de um alimento?

A determinação do prazo de validade de um alimento pode ocorrer de forma direta ou indireta. Nesse sentido, os métodos diretos são aqueles que demandam maior tempo para serem feitos, porém são mais precisos, pois analisam condições de armazenamento realistas e bem definidas. Os processos realizados por esse método são os estudos de estabilidade e testes de desafio.

Por outro lado, os métodos indiretos são muito mais rápidos de serem realizados, ao passo que são também consideravelmente mais imprecisos. Por isso, esses métodos devem ser repetidos em alguns casos, enquanto o produto estiver sendo comercializado. Os processos realizados pelo método indireto podem ser testes de estabilidade em que o alimento é armazenado em temperatura mais elevada do que a esperada, modelos preditivos ou dados históricos coletados.

Diante disso, é importante ressaltar que os produtores de alimentos invistam em formas de garantir uma comercialização saudável e amparada pelas leis da Anvisa, possibilitando o aumento de vida útil do seu produto. Desse modo, a consultoria química é indispensável, uma vez que possui ótimas ferramentas que auxiliam na produção de alimentos com maior qualidade e dentro das normas legislativas. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: